14 de mai de 2010

Molhados (Jurandir Bozo)




Nas águas espelhos da alma
Lavai teus olhares desconhecidos
Lavai também as tuas impressões
E por mais única que sejam
E por mais belas que sejam
Com essas lindas mãos
Lava os teus delicados pés
E lentamente continua
A molhar o corpo
Vai ao fim das tuas moradas
Umedeça teus desejos e segredos
E lava mais...
A nossa hipocrisia dos não identificados
E por fim, deixe sujo só a imaginação
Para combinar com a minha.

Nenhum comentário: