5 de jan de 2008

Poema Safado (Fábio Sirino)



Quero mais um diálogo

E carinhos apenas já não me ganham

Preciso de uma boa foda

O resto vem bem depois do quinto dia

Depois de tantas que já perdemos a vergonha...

Talvez minha decepção com o amor

Tenha aguçado minha safadeza

E nisso me perdoem os puritanos

Mas creio que mais vele uma sacanagem bem feita

Que um amor solitário

Quero línguas e toques

Buracos umedecidos e provocados

Até o último arrepio

Assim não garanto ser mamado

Mas ao menos tenho disso prazer e gozo

E se acham que estou mandando trocarem um amor

Por uma boa safadeza

Estão redondamente certos

Hoje já não quero amar mais

Nem escrever ou rimar

Quero uma mulher que me olhe nos olhos

E depois do fim da noite

Sega sem nada termos que nos confessar

Sem problemas a escutar

Sem vidas a ser descritas e mentiras a serem contadas

Pois no fundo todo poeta ama uma mulher safada.