14 de set de 2007

Distancia (Fábio Sirino)





O oposto da luz nem sempre é as trevas

Alem dos discos voadores e dos fotógrafos

Aqui bem distante dos problemas que nem sei quais são

Fico a imaginar noticias e fantasiar artistas

-Qual desculpar ou história da realidade alheia irei ouvir?

Apenas sei que quase não escuto

E meu grito cala pra ter silêncio

Perto da ponta grossa minha voz afina

E uma saudade já doida entra no tom

Uma cama que chama por nomes proibidos

No alto distante da cidade chuvosa

E eu a falar-te baixo

Enquanto gritas por socorro

Nosso egoísmo não nos permite

A ser o que o outro mais precisa.