30 de mai de 2010

7 Posto. (Jurandir Bozo)



E veio como o vento
Soprando de lugares desconhecidos
Uma vida que despercebida morria em mim
Veio tipo surpresa
Abalando minhas memórias
Os olhos buscavam mais que a resolução que conhecia
Olhos que queriam as historias e aventuras
De um tempo que não me pertenceu
E assim informais nos percebemos
Eu encantado pela sua alma livre
A originalidade teimosa e bem humorada
Os encantos dos seus mundos
Assim nos permitimos aos poucos
Enquanto nos desejávamos aos montes
Proibidos, presos as decisões de ontem
O hoje era nosso, e assim foi, e assim pode vir a ser
Beijos e toque que nos estremece planos e músculos
Regados a vinho, molhados de chuva
A lua a testemunhar nosso oceano de desejos
Enquanto o céu se acendia em festa
Quero mais disso que vivemos
Mais de você em mim
Mais de você aqui
Sentir seu cheiro e lhe acender
Faróis dos prazeres
Caminhos que me guiam
Dentre seus mares de mistério
Sussurrar loucuras ao seus ouvidos
Mais que suas mãos
Irei ler todo seu corpo
Mapear-lo, me tornando intimo dele
Falar a sua língua e com ela lhe umedecer
E provando do seu nécta
Perpetuar-me como seu.






(um humilde poema pra alguém que hoje me fez muito bem. Talvez um dia eu consiga escreve ao ponto de conseguir relatar beleza de nossa noite. Talvez um dia... Hoje não.)

Nenhum comentário: