23 de dez de 2010

Ponto de Luz (JurandirBozo)



Há uma luz em teu ventre que hipnotiza
Flor de sol que incendeia as ruas
Passarela e nascedouro de magia
A beleza e a cobiça
Das tuas curvas aos olhares que te buscam
Não tenho pretensões
Basta-me observar-te
O resto é bem menor
Que a intensidade da fantasia
Que a insanidade da fissura que sinto
Minha sede de te não é o problema
Em um deserto de paixões e miragens
O problema é a distancia de nossos mundos
E só por isso ainda não paro de observar-te
De desejar-te com a boca molhada
Nervoso feito um menino excitado
Tímido feito um menino diante de seu primeiro amor
Mas não sou mais menino
Já vivi á tempos meu primeiro amor
E pouca coisa hoje me excita
Talvez precise de pílulas azuis
Para ter da vida prazeres que já vivi
Ou melhor, talvez me bastasse teus toques
Teus beijos, teus sabores e teu sexo
Mas de verdade não ouso mais que isso
Minhas historias fictícias
Meus sonhos fictícios
Minha vida fictícia
Sou a parte da mentira
Que a tua verdade sempre negara
Mas mesmo assim ainda sou necessário
Como prova da existência dos vencidos
A parte esquecida da historia
O cara e seu vazio
 Que até te enxerga na janela, online
 Mas já nem fala mais

2 comentários:

Anônimo disse...

MUITÍSSIMO BOM!

Karla Lima

Jurandir Bozo (Fábio Sirino) disse...

Muitíssimo agradecido!
Mas como poderia ser diferente... E não pelo elogio, mas sim, pela presença, sempre amiga e delicada.