14 de dez de 2010

Desconstruindo o Imaginário (JurandirBozo)


 (Ana IV)


Vaga na imaginação
O desfecho para meus sonhos com Ana
Como se questionasse a imagem que criei
Desconstruindo meu imaginário perpetuo
Penso hoje mais que em Ana em minha cama
Sua boca, seus seios e coxas
Penso em Ana sem maquiagens
Adiciono-lhe pequenos defeitos
Trago a minha imaginação traços humanos
Dou a Ana à verdade que quebra encantos
A dor e a tristeza dos dias tempestuosos
 Peso o mau humor da sua suposta TPM
Ana sem alisamentos
Progressivamente natural
Sem batom ou esmaltes
Borrada, suada, nua
Assustadoramente livre de pudores e formalismos
Sem meias verdades
Somente Ana e mais nada
Mas imagino também os medos de Ana
Suas historias e fracassos
E como seria o som do choro de Ana
Quero saber mais e mais
Sandices intimas e fetiches sórdidos
Eu obsesso por sua beleza
Quero mais dela que mascaras e enfeites
Quero Ana e suas dores
Quero Ana e seus sabores
E ela venha como for, mas que venha pra mim
Que já a enxergo de formas diversas e reversas
E mesmo assim Ana não se cala
Ou se vai dos meus sonhos
Mesmo eu estando acordado

10 comentários:

Anônimo disse...

Já entrei na net curiosa pra saber da Ana ,cada dia mais interessante!rs...Ana tem defeitos??se tem então ela é real!!
E como seria o choro de Ana??

Mila Ventura

Jurandir Bozo (Fábio Sirino) disse...

hoje deve ser postados mais dois...

Anônimo disse...

Aham! Sou real! Tenho milhares de defeitos, expostos e ocultos, mas tenho, sim!
As vezes, sou até insuportável! rsrs
Sem modéstia,Tenho também muitas qualidades.
Talvez não tantas ou na proporção que são faladas nos poemas, mas ainda assim, as tenho!
Meu choro? Normal...silencioso, mas sempre verdadeiros.Sejam por tristezas ou alegrias.
Sou real...O imaginário aqui são só as palavras, os poemas...
ANA CLÁUDIA

Jurandir Bozo (Fábio Sirino) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jurandir Bozo (Fábio Sirino) disse...

Engraçado foi ver Ana Claudia pela primeira vez, mesmo, falar como “Ana”... Mas será que “Ana” existe...? Eu em minha suposta (por vcs) loucura já duvida da existência de “Ana”, ou de “Anas”... Pois em minha fértil fantasia e imaginação (tb constatada por alguns comentários) já não encontro argumentos para descrever-la em poesia... E se ela existe e o imaginário são as palavras e a poesia, como lemos poesia e palavras imaginarias, seria o blog e todo seu suporte imaginário tb? Ou quando lemos sonhos de certa forma os ajudamos a se tornarem um pouco mais reais e assim partilhar deles tb. (“sonho que se sonha só é só um sonho que se sonha só, mas sonho que se sonha junto é realidade”. Raul Seixas.)

Anônimo disse...

Uai,Ana Claúdia...obrigada por responder a pergunta e falar um pouco sobre vc.O poeta naum fala de uma só ´´Ana´´,mas sim de várias ´´Anas´´ e quantas se encontrarem em suas palavras...E intrigante sua alta estima elevada!!!

Mila Ventura

Anônimo disse...

Disponha!
Ah, sim! é Verdade. Nos textos posteriores ao ANA I, ele fala em ANA no plural, como se ANA tivesse várias faces, várias máscaras!
Máscaras sempre caem, de um jeito ou de outro. Mas Ana é uma só!
Ah, e quanto à alto-estima elevada,desde que não prejudique, nem machuque ninguém,Nunca é demais,né?!
ANA CLÁUDIA

Jurandir Bozo (Fábio Sirino) disse...

Mila vc sabe que TAMBÉM é “Ana”, com a boca e todos os sonhos... Mas como disse, Ana não se personifica em uma única pessoa.
Grato pela atenção e espere que chegue bem.

Anônimo disse...

Não,Não...as máscaras só caem para quem as usa!A questão não é ´´ser´´ ou ´´não ser´´Ana!!!Minha vaidade não vai tão além...

Cadê Ana?
Eu quero vê todas as ´´Anas´´´,quero vê-las todas reunidas,sou até capaz de dar vários nomes para Ana.Quero que Ana se chame Kamilla,Jerusa,Pamella,clêmencia,Mari,Lorena,Emilia...Ufa!São tantas ´´Anas´´,como dizer que só existe uma ´´Ana´´...
Eu quero Ana com maquiagem,com as unhas pintadas,com os cabelos alisados,quero Ana com sua alta estima elevada(desde que não prejudique , nem machuque ninguem),quero Ana do jeto que ela quer ser,do jeito que ela gosta de ser...Ana eu??Não,sou Mila...a Mila que tanto Amo,só uma e só minha!!!

Mila Ventura

Jurandir Bozo (Fábio Sirino) disse...

Sendo assim, Mila tb é Ana... Ana de tantos nomes e tão pluralizada que ate cansa só em pensar justificar-me... rs
Mila, eu até concordo em alguns pontos contigo, mas quando nos eximimos de determinadas coisas ficamos a flutuar entre o entendimento e a confusão.

Talvez o fim da saga de Ana tenha vindo em uma hora propicia, pois hoje talvez não seja mais prazeroso falar de Ana como estava sendo no inicio da brincadeira poética. Talvez por isso o ultimo tenha sido tão pouco comentado...

De resto, fica o registro e a poesia.