22 de set de 2011

Seus Caminhos (Jurandir Bozo)





Desconhecida, chegou-me em mistérios
Leve como vento, suave como uma seda negra
Busquei olhares e trejeitos
Como se fosse algo a ser decifrado
Mas seus segredos
Estão nos mínimos relevos de sua pele
Em curvas e passos que dançam
E na sobra dos olhos escuros
As historias que quero aprender
Medos, anseios, prazeres
Suas intimas fantasias e vontades
Em uma loucura quase tímida
E uma timidez quase louca
Espontaneidade que me seduz
E assim feito o cheiro do seu café
Sua lembrança me invade
E não poderia ser mais encantadora
Deixando-se conduzir em canções
Suas mais presentes recordações
Linda jovem, insegura, livre
De flor no cabelo e beleza matreira
Feito sol seu sorriso
Encandeia meus esconderijos
E assim exponho em poemas
Tentando penetrar em suas angustias
Meus mais profundos erros
Com um labirinto de perguntas
E cruzamentos contrários
Quem me dera ter acesso a suas placas
E assim conseguir chegar a você
Sem agredir seus mais frágeis escudos. 

Nenhum comentário: