24 de dez de 2007

Urânia (Fábio Sirino)


Leve-me contigo
Nessa busca inusitada
Na passagem para o nada
Vamos ao desconhecido

Num belo lago azul
Onde sul e norte
Não fazem fronteira
Com os sóis alaranjados
Quais as próximas barreiras
Para um espírito encarnado?

Nesta sinfonia de seres perfeitos
Um lago simboliza
As poucas lágrimas
E acalma o vento
Atrai o tempo
Derretendo o gelo

Busque a vida
Como a própria felicidade
Que tudo não acaba
Com o fim do temor

Que as palavras
Amanhã não se repetirão
Libertando a alma,
De toda ilusão, toda dor
E aquele amor que há no coração


28 de dezembro de 1996.