23 de jul de 2012

No Arame... (Jurandir Bozo)





Depois do sol
A noite não veio
Como se o mundo tivesse calado
Calado seus dias
Suas horas e minutos
Parado entre o resto de luz
E o escurecer
Eu
Somente eu
Entre sonhos e risos
Palavras e escritos
Reflexo dos meus medos e fraquezas
Num espaço de tempo estreito
Que já não durmo
Que já não me refaço
Eu apenas sigo e vou
Assim apenas deixo meus pés fazerem escolhas
Pela mais pura necessidade de andar no arame
De sair do lugar
Desse lugar
Do mundo
Do planeta
Da vida
De mim
Mas certo que mesmo indo
Toda paisagem se repete
E me desespero em silencio
Por sempre estar no mesmo lugar




Nenhum comentário: