16 de jul de 2012

Na Madrugada (Jurandir Bozo)




Dizem as más e boas línguas
Que é na madrugada que viro bicho
Que uivo
Mordo
E aranho
Mas é quando sou bicho
Que amo
Que gemo
E choro
É esse eu bicho das madrugadas
Minha parte mais humana
Mais terna e verdadeira
Sem as mentiras que sol reflete em mim
Sem convenções
Rótulos e slogans
Nela eu me lambuzo de quem sou de fato
Correndo em mim
Sonhos e desejos
Que a luz não ousaria iluminar
E quem vai negar que o escondido tem seu sabor
O meu sabor já não é mistério
E aos que ousam aparecer a mim na madrugada
Compartilho dele
Sem meias palavras
Só instintos
E fulgor no rosar de corpos
Assim feito bichos
O escuro não nos causa medo
Ele nos protege e acolhe
Todos os nossos segredos




Nenhum comentário: