21 de jul de 2012

Amor Enviesado (Jurandir Bozo)




Do que valem as previsões
Se a cronologia nos afasta
Sentimentos desenraizados
Desejos que não buscam o amor
Olhares que não se encontram
Na mesma vontade

Quero então o frívolo
A instabilidade fugaz
Quero sim a insegurança
O incerto que nos acerta
Algo que provoque desequilíbrio

Quero sem permissão
Sem reciprocidade apenas sentir
Apenas tocar e provocar prazer
E mando a merda todos os pedidos
De casamento
Namoro
Socorro

De te sexo e calor e suor
Pecado e perversidade
Pois tudo que é bom
É sempre proibido



Nenhum comentário: