29 de fev de 2012

O Anjo (Jurandir Bozo)




Ainda guardo a imagem que fiz de você
E mesmo em pedaços
Meu peito sem força
Grita silenciosamente seu nome
Ai se você conseguisse me escutar
Pois por mais força que coloque em meu cantar
Nossos ritmos parecem não se permitirem
Harmonizar a mesma melodia
Distantes e ásperos seguem sem esperar
Assim longe das fontes minha boca saliva
Meus lábios pedem por você
Sem nada que sacie minha paixão
Entrego-me a outros vinhos
Entorpecido quem sabe durma cansado
Para que com o cansaço o sonho adormeça
E assim ele não traga você a mim
A meus pensamentos
Corrompidos por seus encantos
Em mais essa noite que se segue
Nem o cansaço ou a embriaguez
Fazem-me fugir do que intimamente mais desejo
E assim perto da fantasia que faço de você
Entrego-me aos risos seus
Ao que não me pertence
O anjo de sorriso de sol
De poucas palavras e muitos mistérios
Algo que não sei enxergar
Além das curvas que me atiram ao precipício
A beleza angelical que inferniza
E acende em mim
O que achei que a muito
Pensei ter apagado com jatos de dor.



2 comentários:

Anônimo disse...

PUTZ! QUE COISA MAIS LINDA JUJU.
CARAMBA!!!

CHOREI...



(sei que nao foi pra mim, mas me emocionou muito.)


Karlita

Jurandir Bozo disse...

Grato meu anjo!