17 de fev de 2012

Intimidando Intimidade (Jurandir Bozo)



Quantos dias ainda restam
Sem que a minha esperança
Ponha-me de forma ridícula
A ainda crê na possibilidade do impossível?
À toa, vendido, entregue
Meus pensamentos me guiam a derrota,
Tem vezes até,
Que todos os pedaços de mim
Se sentem tolos...
Quando fico eu a falar engrossando couros
Dos que nada tinham haver comigo,
Quando meus olhos de canto
Seguem o desejo de minh’alma
Presos a beleza dos sorrisos dela.
Porque estaria ali se não para isso,
E apenas para isso...
Não me interessa mais nada
Que não fosse as escondidas
Espiar de perto o seu jeito,
Escutar de perto seu tom,
E de perto sentir sua presença
O mais discreto possível
Da não percepção da minha existência,
Da existência dos meus olhares,
Dos meus desejos e temores.
A ela me expus forte
Quando minha vontade era de falar
Em nome dos que temem a rejeição,
Dos que alimentam os sonhos,
Dos buscam o amor...
Que vêem a vida com paixão,
E mesmo covardes se entregam a ela.
Assim levados por a vida ou por amores,
Seguem dentre a multidão
Com um vazio sem tamanho mensurado...
Sozinhos, bancam uma felicidade
Que os olhos não pagam.
Queria mostrar a ela
Todas as minhas contradições,
Toda poesia que de cá, eu enxergo em seus olhos
E em sussurros falar ao ouvido
Versos do que ela desperta de melhor em mim...
E assim contar-lhe segredos, historias...
Ao ouvido confessar baixinho todos os pecados
Que cometeríamos juntos,
E não apenas mostrar-lhe
A fumaça do meu cigarro que a deixa mais distante.
Mas não, eu apenas calei, ri e fui embora...
Fui embora pensando ter feito o melhor
Evitado a tempo algo vexatório.
Acuado pelo senso comum
Ou entendimento do que somos,
Eu disperso, louco, livre,
Imenso em mim e minhas fantasias,
Temi ficar e dizer tudo que sei que gostaria de ouvir,
Pois certamente não seria de mim
Que tais palavras ganhariam força em coração...
Então fui, e que escolha teria eu?
Foi mais que sua beleza que me intimidou a seguir.
Foram suas palavras...
Quando me olhava nos olhos,
E me chamava de amigo.



4 comentários:

Yasminne Maria Gomes Bezerra. disse...

Gostei do seu blog, parabéns. Estou te seguindo, me segue também, se puder; http://yaasminneg.blogspot.com/ (:

Anônimo disse...

Gostei do seu blog, parabéns. Estou te seguindo, me segue também, se puder; http://yaasminneg.blogspot.com/ (:

Jurandir Bozo disse...

Valeu!

Anônimo disse...

Me emocionei ao ler esse poema. Lindo!

Lela