4 de jul de 2011

Metade de mim (JurandirBozo)




Partido ao meio
Completo a volta
E mesmo cansado
Chego ao fim
Da madrugada
Com a metade de mim
Que ainda consigo carregar

Nego-me novas silabas
E insisto com palavras
Que não sei sua ortografia

Sendo vencido
A preguiça cobiça minhas paixões
E eu descansado
Fujo do imposto do esforço
De novamente amar
E com outros gastos em mente
Engulo de mim
Tudo que cuspi no outro

Copiando risadas e as postagens
O complemento da foto
Já não se explica
Em redes de novos amigos
Que não conheço
Onde tudo me leva a crer
(Para uma metade de mim)
Que a modernidade é uma bosta 

Nenhum comentário: