5 de jul de 2011

O Mar I Ana (JurandirBozo)





Ambos se gostavam
Pois ela despertava sonhos
E ele leva a imaginação
Para o infinito
Se gostam e se amam
Num flerte que dura uma vida
Como são apaixonantes
Na meiguice mais bruta
E na brutalidade mais meiga
Se fazem em encantos do que já não se canta
Mais do que o Mar estar Ana
Mais do que Ana estar o Mar
Então ele e ela se unem
Pelo amor e pela dor
Vão além da fusão
E passam a ser poesia
O Mar I Ana



Essa foi recuperada deum dos poemas que tinha perdido após roubarem minha bolsa a muito tempo. Mas esse poema foi feito na forma mais verdadeira que meu entendimento enxergava essa menina de terra, céu, rio, e mar, na minha forma de amar o Mar I Ana.

Um comentário:

Mariana Marques***... disse...

Meiguice bruta, e brutalidade meiga; são poucas as pessoas q sabem ou entendem dessa forma viu... E me pergunto deixo ele com o direito de me revelar assim... Mas ele esta falando do mar né, então eu deixo.... "Grandão do meu querer"