7 de mai de 2011

Bons Ventos (Jurandir Bozo)




Ainda ontem
Roubo-me a lembrança
Feito um vento
Que sem explicação vem e nos invade
E assim invadido fiquei
Preso a tudo que não sei

É engraçado
Mas tenho a estranha mania
De me encantar com o desconhecido
O inédito, o nunca visto
E quando a vi senti a força das repetições
Como se fosse apenas um critério meu
Quando na verdade
Estava alheio as preferências
E entregue a beleza dela

Ainda fica em mim
A força expressiva dos olhos
E a forma das curvas
Que no vestido eram desenhadas
A boca, o contorno da nuca
A pele clara
O tom da voz
Um perfil de imagens e flores
Num varal de poesias


(espero que a moça dessa foto não se zangue por ter roubado ela para ilustrar o poema.
Se bem que qualquer semelhança não é mera coincidência. )

Nenhum comentário: