5 de nov de 2009

Um Vício Quase Perfect. (Fábio Sirino)


O que mais posso esperar
Se as coisas que mais amava hoje me soam estranhas
Como se algo corroerá meu paladar
Assim meus olhos sem brilho
Perderem o ritmo, a musicalidade
Sem cor, sem medo da morte ou da vida
E por meses fui à ficção que os outros esperavam de mim
Mas o acaso tratou de mostrar que avia beleza pelo mundo afora
Eu que não perceBia a perfeição das coisas
As cores e formas que caminhavam em desejos
Ensaiando para o imaginário das vaidades
Provocando cobiça cruzadas em vermelho
Assim redescobre o medo
O nervosismo, a timidez
E mesmo oculto me sentir nu
Aberto ao fascínio e posto aos pés da formosura
Sem perspectivas ou esperanças
Aguardo apenas o próximo fleche
Pois meus olhos têm um novo vício.
A sede de você.

Nenhum comentário: