2 de jun de 2013

O Olhar Dela II (Jurandir Bozo)




(Encantos de Cipriano)

Assim o tempo discorre na modernidade
Outras formas tênues de expressão
Ou mesmo de comportamento...
Nisso, vemos assim meio que distorcido.
O entendimento de certo, errado, feio, belo...
Vemos a fuga dos olhares,
O esconderijo dos encantos perdidos
Pelo simples fato de não nos olharmos mais como deveríamos,
Nos observamos como seres humanos,
Belos e complexos em nossas origens e diversidades...
Perdemos a cada dia a essência dos encantos,
Em especial,
Perdemos a cada dia a essência dos encantos femininos...
A força e pureza da mulher contidas num olhar...
Sua determinação,
Sua coragem,
Sua beleza,
Seu charme,
Sua liderança...
Talvez esse seja hoje a pergunta que mais me incomoda...
-Porque calar o olhar???-
Quando vejo uma foto como essa
Tenho a certeza que a beleza que grita nos olhos
Jamais deverá ser silenciada...
Pois ainda tem muitos olhares repletos de sons
Para harmonizar o entendimento humano
Do que é de fato a beleza de sermos o que somos
E propagar encantos mundo a fora e alma adentro...



Esse poema nasceu naturalmente ao me deparar com um lindo olhar, ou melhor, ao me deparar com o olhar Dela... A moça das terras de Cipriano... 

Nenhum comentário: