2 de jun de 2010

Dia Escuro (Jurandir Bozo)




Calem todos meus pensamentos
Preciso agora de silencio
Chega
Não tolero mais o cheiro
Do que me trouxe aqui
Nojento
Inútil
O que mais sei de mim
Além do que me parece obvio
Minha mal fadada vida
Minha vontade de morrer
Minha covardia
À merda o que achei que seria eu
Meus anseios de quase ninguém
À merda as prioridades do meu ego
Saliências da vaidade infundada
À merda todas as idéias que não me deixam dormir
Preciso de pouco
Um copo d’água
Comprimidos que atenuem a dor  
E induzam ao sono
Um espelho para que enxergue minha cara safada
E um quarto escuro onde possa fugir de mim
Para fechar os olhos e fingir que não mais existo.




Um poema para um dia infeliz.
Dedicado a mais um filha da puta que tentou pegar minha bolsa... (-como se eu fosse ou cogitasse entregar. rs...)

Nenhum comentário: