27 de jun de 2009

Um Final Feliz (Fábio Sirino)


Não queiras matar-te
Ainda é cedo para pôr fim aos sonhos
E são tantos e tão poucos
Que se vão com a poeira
Pelos cantos da casa
Limpando as coisas para dar a festa
Com confetes, serpentinas e bambas
Nos estalos dos fogos
Na explosão das cores
Com a mesma pólvora que mata
Sinaliza-se a celebração do renascimento
Fazendo os planetas girarem fora de órbita
Sanando cortes e queimando filmes
Em poses coloridas e subliminares
Que olhos tristes colecionam
Perdendo a validade das lembranças que machucam
Pulsando no pulso que sangrava som
Nas cicatrizes que marcam e desenham a alma
Eu enxergo a palma da tua mão
E sinto tuas unhas se colorindo do meu sangue
Marcando meus poemas
Temendo a tempestade
Mas a chuva sempre há de passar
E lá estará o sol
Sem o peso das nuvens
Ele apenas sorri
Sabendo do desfecho de histórias íntimas
Costurando em segredo corações partidos
Cavalgando por novos amores
Então baixe as armas
Leve a bala vermelha aos lábios
No intuito de adoçar os dias de chuva
Pois os meses das trevas passarão
É sempre assim nos extremos dos pólos
Chega à noite, chega o frio
Tudo morre, tudo apenas se esconde
Mas ali no meio do vazio o verde resiste
Como se soubesse o destino dos ventos
Onde sopra teus mistérios
E nasce a estrela que guia teus encantos
Não queiras a morte princesa das cores
Deseje muito mais do que esperas
Que ainda é cedo para pôr fim a um álbum
De tão poucas fotografias
E por maior que seja a vivência
Tua juventude muito ainda tem a descobrir
Dentre as máquinas, as lentes
Os flashes e os cobertores
Há sempre um “com puta dor”
À espera de novos arquivos de imagem
Ou de um final feliz.

2 comentários:

Lasciva Flor ou Sacana Língua? disse...

Tão lindo e tão animador...Mais ainda...Muda tudo...Mais uma vez te agradeço...:)

Fabio Sirino disse...

O que seria o animo para um convicto infeliz...? Mais um fracasso ou outra frustração? E talvez não tenha mudado nada, só despertado. Não pertence à tristeza, deixa esse mundo da “sozinhes” pra mim. Busque com tua beleza e tua arte a felicidade e os amores que almeja, que daqui do meu cantinho maluco eu vou só acompanhando e escrevendo.