17 de abr de 2018

Cartas aos Vivos (Jurandir Bozo)




Cartas aos Vivos
Volume 01


Eu plagiei uma declaração de amor
No momento que mais deveria ser eu
Eu apenas fui quem você queria
Tomando posse da coragem que nunca foi minha
A fim de ofertar qualidades que nunca tive
Por medo ou por amor eu apenas calei-me
Talvez
Se eu não fosse eu
Talvez
Sendo outro
Talvez
Calando todas as minhas palavras
Talvez
Com as palavras de outros
E assim fiz
E assim foi
Dei o melhor do que nunca fui
Para ter o melhor do que nunca foi meu
É a mais pura verdade
Eu mentir
E não tenho vergonha disso
Envergonho-me apenas de ter acreditado
Na farsa que eu mesmo criei
Acreditado numa personalidade que era minha
Apenas para lhe dar tudo que não era meu
Meu jeito exagerado de gostar
Minha insegurança
Minha extrema carência
Meu egocentrismo
Minha falta de ciúmes
Isso e mais eu apenas escondi
Deixando de ser quem era
Para não saber mais quem sou
Pois por mais que caminhe
Entre noites e dias
Por mais que ensaie reconstruções
Ou tente dar-me outra chance
Eu plagiei uma declaração de amor


Nenhum comentário: