24 de fev de 2018

Profundidade Incógnita (Jurandir Bozo)




(A estrangeira IV)

A profundidade de seus olhos
Roubaram meu sono
E mesmo acordado
Tenho devaneios ambíguos
Como se tentasse descobrir respostas
Recortando no céu de estrelas
Os traços do seu rosto luzido
Na ideação incógnita da força do seu olhar
Indo ao recôndito
Suas estradas sem mapas
E nas sinuosas curvas dos seus lábios
Perco qualquer resquício de prudência
No esmero de seu fulgor
Possibilidades
Margens que me levam ao oceano de sua beleza
E eu perdido
Naufrago
Insone
Encantado
Continuo as indagações
Sobre as constelações ainda ei de descobrir
Na profundidade do seu olhar
Ou na historia de sua vida. 



(Modelo da foto e musa inspiradora para o poema: Milena Nenemann, a quem desejo toda poesia que que adorna o mundo de beleza)


Nenhum comentário: