1 de jun de 2012

Artistas (Jurandir Bozo)





Ainda dói em mim
O dia que me acusou
Em ser artista
Como se toda minha vaidade
Fosse menor que tua mentira
Aquelas que eu acreditava
As que me faziam feliz
Verdades não me importavam
E quais verdades importam
Quando se está apaixonado
As tuas em dizeres que o que sou
Ou as minhas em acreditar
Em quem tu me dizias ser
Assim entre o que se falava
E o que era entendido
Vivíamos de perto nossa distancia
Bailávamos entre focos e gerais
A nossa mais pura e delicada imaginação
Afinada como luz onde o sonho era meu
No céu as nossas estrelas
Ascendiam sobre nos
Como se não soube-se
Que minha maior obra era te amar
Exercer o verbo contigo
Foi então meu mais saboroso espetáculo





Nenhum comentário: