14 de nov de 2011

Incendiado (Jurandir Bozo)




Como alguém que nunca fez parte de minha vida
Pode fazer tanta falta?
Em dias que sinto seus olhos de sol
Invadindo minhas janelas
E por elas chegasse aos ritmos do meu coração
Acelerando o andamento da minha bateria
Numa voltagem ainda maior que os duzentos e vinte
E o que era ciranda vira um verdadeiro carnaval
Como posso fugir de suas chamas
Se seus defeitos me corrompem  
Se meu corpo pede por seu calor
E esse talvez seja o maior perigo do fogo
O fascínio que exerce em mim

Um comentário:

Palavras Ao Vento disse...

adorei... esse foi um dos poemas mais lido e perfeito que já tive o prazer de ler...e sem falar que é de um sensibilidade indiscutível,te adoro muito meu amigo.....;)